CORONAVÍRUS: A CANNABIS MEDICINAL PODE SER EFICAZ CONTRA ELE?

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), países do mundo todo – incluindo o Brasil – desenvolveram uma série de medidas para preservar a saúde das populações e as organizações de saúde têm divulgado cuidados básicos de higiene para evitar que o vírus se propague. Com isso, clientes, amigos e parceiros têm nos questionado se essas medidas de saúde são suficientes e se poderiam utilizar produtos à base de Cannabis para fins medicinais para fortalecer o sistema imunológico ou combater o coronavírus.

Com este texto, queremos esclarecer a questão para que todos se mantenham protegidos e bem informados contra a doença. Essa é nossa responsabilidade compartilhada!

O que é o novo coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias. O vírus responsável pela pandemia mundial é um novo agente, causador da doença COVID-19. Ele foi descoberto em 31/12/19, após casos registrados na China. Porém, os primeiros coronavírus humanos foram isolados há mais de 80 anos, em 1937, ainda que apenas em 1965 tenham sido descritos como “corona”. Esse nome foi escolhido por conta do formato do vírus, que lembra uma coroa quando visto no microscópio.

Transmissão do coronavírus

As investigações sobre as formas de transmissão do novo coronavírus ainda estão em andamento. Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de um metro) com alguém que esteja com o vírus tem risco de contágio. A transmissão ocorre pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro e tosse.

O período médio de incubação do coronavírus é de 5 dias, podendo chegar até cerca de 12 dias. Esse é o tempo que os primeiros sintomas levam para aparecer desde o momento da infecção, segundo informações do Ministério da Saúde.

Prevenção do coronavírus

Se prevenir do coronavírus não demanda muitos recursos, mas cuidados básicos de higiene, como:

  • lavar bem as mãos e com frequência;
  • evitar contato próximo entre pessoas;
  • cobrir nariz e boca durante tosse ou espirro;
  • higienizar objetos de uso frequente; e
  • evitar tocar nos olhos, boca e nariz.

O uso de produtos de Cannabis para fins medicinais pode auxiliar a combater ou prevenir o coronavírus?

Ter um sistema imunológico fortalecido é uma ótima ferramenta de defesa contra qualquer infecção. A forma como o organismo de cada um conseguirá lidar com a infecção é determinante para a recuperação. Muitas vezes, o paciente que possui o vírus pode sequer sentir sintomas. No entanto, nem todo mundo é assim, seja por alguma condição que implique em imunodepressão ou até mesmo pelo avanço da idade, que provoca um declínio fisiológico natural.

Muito se diz sobre as propriedades imunomodulatórias dos canabinoides, uma vez que os receptores CB2 são encontrados majoritariamente em células do sistema imune. Há mais de 120 fitocanabinoides descritos, cada qual com uma afinidade e ação distinta nos receptores-alvo.

Mesmo assim, deve-se ter cuidado ao afirmar que os produtos de Cannabis podem ou não ajudar no combate à doença, ou mesmo se age ou não na prevenção ao novo coronavírus.

Não há pesquisas demonstrando efetividade do CBD ou de outros fitocanabinoides na prevenção ou no combate do coronavírus (COVID-19).

Com as propriedades anti-inflamatórias e analgésicas dos canabinoides já descritas na literatura científica, também pode-se pensar em utilizá-los na remissão dos sintomas de dores pelo corpo e de cabeça. Apesar de parecer uma boa opção, devemos nos atentar para todo o conjunto da obra, e não somente para efeitos pontuais. Até o momento, há uma recomendação da OMS para se evitar a utilização do anti-inflamatório ibuprofeno como tratamento para o coronavírus por conta de uma possível relação com piora no quadro respiratório, além de outras recomendações como a de evitar também o uso de corticoides. Deve-se atentar, portanto, para a utilização de outros produtos terapêuticos que possam atuar de forma semelhante, como os próprios canabinoides.

Além da possível piora no quadro, o uso indiscriminado de componentes com essas características, principalmente anti-inflamatórios, pode mascarar os sintomas iniciais, atrasando o diagnóstico e tratamento adequados. Isso aumenta, inclusive, a possibilidade de contágio de outros indivíduos devido ao atraso no isolamento daquele paciente.

Os produtos à base de Cannabis medicinal podem matar o coronavírus?

Outra abordagem poderia ser mencionada: canabinoides já demonstram efeito antibiótico e antiviral contra algumas espécies de microrganismos. O mesmo se aplicaria ao novo coronavírus?

Uma triagem preliminar sobre o potencial do canabidiol (CBD) contra o vírus da hepatite revelou que o canabinoide é ativo contra o vírus da hepatite C (HCV), mas não contra o da hepatite B (HBV) in vitro. O CBD inibiu a replicação do HCV em 86,4%. Outros experimentos com animais de laboratório mostraram potencial do CBD e/ou do THC (9-tetrahidrocanabinol) em melhorar a resposta imunológica do organismo contra outras infecções virais como herpes, retroviroses (HIV) e influenza.

Esses achados sugerem que o CBD poderia ser mais explorado terapeuticamente contra os modelos testados, mas trata-se apenas de resultados preliminares que devem ser pesquisados mais a fundo. Quanto ao coronavírus, apesar de pertencer a uma família de vírus já previamente conhecida, o potencial antiviral de canabinoides contra o agente causador da COVID-19, ou mesmo de outras variantes, ainda não foi testado.

O que sabemos sobre canabinoides e coronavírus?

Com total transparência, praticamente nada.

Alguns mecanismos pelos quais os canabinoides atuam no organismo podem ser relevantes na condução do tratamento de alguma infecção viral como a provocada pelo coronavírus. No entanto, pensar em qualquer possível efeito analgésico, anti-inflamatório ou antiviral no caso específico não passa de hipótese. A melhor forma de minimizar os efeitos da pandemia, no atual momento, é seguir as recomendações de higiene e de distanciamento social para evitar a sobrecarga dos sistemas de saúde, que podem ficar sem capacidade para atender a todos os infectados de uma só vez.

Mais pesquisas são necessárias para que se prove que qualquer uma das propriedades citadas sejam efetivas contra o surto atual do COVID-19. Estamos enfrentando tempos difíceis no quesito saúde. Há uma pandemia de um vírus que abala diferentes países e está colocando a nossa habilidade de lidar com a situação e o nosso conhecimento técnico-científico em xeque. Neste exato momento, os especialistas em saúde e as instituições governamentais buscam aplicar toda a sua expertise para controlar a disseminação da doença e o número de fatalidades.

A certeza é que todos os extratos da sociedade vêm aprendendo com a situação, especialmente a área de saúde, que terá adquirido informações preciosas sobre disseminação, contágio, patogenicidade de vírus, modo de ação no organismo, controle da doença, cuidados, tratamentos e vacinas que terão utilidade no futuro na aplicação de mais conhecimento!

fonte: https://hempmedsbr.com/coronavirus-cannabis-medicinal-pode-ser-eficaz-contra-ele/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *