CBD E CORONAVIÍRUS: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER!

Rebekka Shaman, presidente da British Hemp Alliance, que promove a indústria canábica no Reino Unido, acredita que as vendas de CBD podem aumentar na medida que as pessoas saibam dos benefícios para o sistema imunológico do canabidiol.

Em entrevista ao site Food Navigator, ela também declara que as propriedades antivirais, anti-inflamatórias e antibacterianas do CBD podem até nos proteger contra o vírus.

Na Europa, o CBD é classificado como algo novo, então requer uma autorização pré-comercial. A EFSA (Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos, em tradução livre) ainda não aprovou nenhum ingrediente do CBD.

No entanto, os produtos chegaram até as prateleiras. Enquanto isso, o cânhamo e produtos relacionados não são novos para os reguladores, isso porque existem evidências que o consumo começou antes de 1997.

Enquanto isso, agricultores do Reino Unido podem colher a semente de cânhamo, usada em suplementos alimentares, mas não podem retirar o óleo da flor, onde o CBD é encontrado em altas concentrações. Os produtos com canabidiol comercializados no território britânico são, portanto, fabricados com óleo importado.

E embora as sementes de cânhamo sejam altamente nutritivas e estimulantes para a saúde, o CBD, afirma Shaman, tem o melhor potencial para aumentar a imunidade. O atual cenário regulatório, portanto, seria para a presidente uma “loucura” em um momento em que “precisamos aumentar nosso sistema imunológico mais do que nunca.”

“Existe uma verdadeira desconexão entre a saúde humana e a situação política em torno dela. O que realmente precisamos fazer é ingerir CBD para impulsionar nosso sistema imunológico. Deveria haver um grande esforço do governo para levar as pessoas a tomar medidas preventivas contra o coronavírus, das quais uma estará aumentando o sistema imunológico, o que está ligado ao sistema endocanabinoide. O que significa ingerir coisas com canabinoide. E a maior planta que produz esses canabinoides é o cânhamo”, afirma ao site.

Não há nenhuma evidência de que o cânhamo ou CBD podem melhorar o bem-estar ou a saúde, afirma especialista

Outros membros da comunidade do CBD estão interessados em se distanciar dessa visão.

O professor Saoirse O’Sullivan é líder científico da Association for the Cannabinoid Industry, um novo órgão da indústria que afirma estar comprometido em promover um mercado de CBD seguro, legal e bem-regulamentado. “Eu acho que é realmente perigoso divulgar esse conceito. Não podemos implicar que os produtos com canabinoides podem prevenir o COVID-19 sem quaisquer dados”, disse ele ao FoodNavigator.

O médico Andy Yates concordou: “As evidências para o uso de CBD no COVID-19 são tão fortes quanto o uso de cenouras, elas não existem. Durante um período de grandes desafios nacionais e internacionais que enfrentamos, nós, como indústria de CBD, não podemos chegar perto para oferecer falsas esperanças”.

“Não há evidências de que o cânhamo ou o CBD melhorem o bem-estar ou a saúde”, disse O’Sullivan. “Mas sim, as pessoas vão usar produtos que elas percebem que irão melhorar o seu sistema imunológico ou a saúde, como vitaminas e suplementos.”

FONTE: https://sechat.com.br/a-procura-por-canabidiol-pode-aumentar-por-causa-do-coronavirus/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *