O CBD AJUDA COM PROBLEMAS GASTROINTESTINAIS

Segundo a pesquisa, a resposta é sim.

O CBD é uma terapia natural baseada em plantas com efeitos benéficos demonstrados para pessoas que lidam com uma variedade de condições, desde insônia a epilepsia.

Em um nível alto, o óleo CBD suporta o sistema endocanabinóide do corpo no reequilíbrio das funções biológicas que ficaram fora de controle (como sono ou resposta imunológica). De fato, muitas pessoas tomam o óleo de CBD como um complemento geral de bem-estar, simplesmente porque é tão eficaz no reequilíbrio do corpo quanto necessário.

Para indivíduos com distúrbios gastrointestinais, esse reequilíbrio tende a se concentrar na inflamação do intestino, intestino grosso e outros órgãos do trato digestivo. O óleo CBD provou ser eficaz no alívio dos sintomas primários dos distúrbios gastrointestinais, como dor e inflamação, além de sintomas secundários, como ansiedade.

Neste guia, analisamos os tipos de distúrbios digestivos que o CBD pode ser útil no tratamento. Em seguida, veremos como o óleo CBD funciona, os benefícios específicos que ele oferece para indivíduos com problemas gastrointestinais e como encontrar um óleo CBD seguro para tratar sua própria condição gastrointestinal.

O que são doenças gastrointestinais?

Normalmente, problemas de IG são um termo genérico para as seguintes condições. Como analisaremos nas próximas seções, o óleo CBD pode ser útil no tratamento de um ou mais dos sintomas presentes em cada um desses distúrbios.

Síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável (SII) causa inflamação no intestino grosso. É caracterizada por sintomas como dor e cólicas abdominais, inchaço, gases, diarréia, constipação e perda de peso. A SII afeta 10% a 15% das pessoas em todo o mundo, com o distúrbio duas vezes mais prevalente entre as mulheres.

A SII é uma condição crônica sem cura, embora os sintomas possam ser gerenciados por uma combinação de mudanças na dieta e no estilo de vida, suplementos de fibras e outros medicamentos. Como o estresse pode desencadear ou intensificar os sintomas, terapia, aconselhamento e antidepressivos também podem ser recomendados.

Doença de Crohn

Juntamente com a colite ulcerosa, a doença de Crohn é um tipo de doença inflamatória intestinal (DII). Um pouco mais de 1% dos adultos americanos sofrem de DII. A doença de Crohn causa inflamação no trato digestivo. Os sintomas incluem dor e cólicas abdominais, fadiga, diarréia grave, sangue nas fezes, apetite reduzido e perda de peso.

Não há cura para a doença de Crohn, que pode ser debilitante para conviver. Os tratamentos recomendados geralmente envolvem uma combinação de mudanças na dieta e no estilo de vida, juntamente com medicamentos anti-inflamatórios ou antibióticos.

Colite Ulcerativa

A colite ulcerosa é outra DII, causando inflamação e úlceras no trato digestivo. A colite é distinta da doença de Crohn, pois afeta especificamente o cólon e o reto. Os sintomas comuns incluem diarréia grave (geralmente com pus ou sangue), dor no abdômen e no reto, sangramento retal, dificuldade em defecar (que geralmente é acompanhada por uma urgência em defecar), fadiga, febre e perda de peso.

Como a doença de Crohn, não há cura para a colite ulcerosa. O tratamento normalmente inclui uma combinação de drogas imunossupressoras e anti-inflamatórias, com outros medicamentos para controlar os sintomas, como analgésicos.

Gastrite

A gastrite causa inflamação no revestimento do estômago. Pode ser causada por uma infecção bacteriana ou uso excessivo ou abuso de analgésicos e álcool. Certos IBDs como a doença de Crohn também podem aumentar o risco de gastrite. Os sintomas da gastrite incluem dor ou sensação de queimação no abdome superior, náusea, vômito e sensação de plenitude no abdome superior após a ingestão.

Se não tratada, a gastrite pode causar úlceras estomacais e evoluir para câncer de estômago. A gastrite crônica afeta 2 em cada 10.000 pessoas. Felizmente, a gastrite desaparece para a maioria das pessoas com tratamento adequado. Normalmente, isso inclui uma mistura de antibióticos para matar a infecção, antiácidos e bloqueadores de histamina, além de mudanças no estilo de vida.

Prisão de ventre

A maioria das pessoas experimenta constipação pelo menos ocasionalmente, mas a constipação crônica é definida como tendo movimentos intestinais difíceis ou pouco frequentes por um período de semanas ou mais. Tendo menos de três evacuações por semana, esforço durante evacuações e fezes irregulares ou duras são sintomas comuns. A constipação crônica decorre de bloqueios ou problemas nervosos no cólon ou no reto. Também pode ser um sintoma de outra doença crônica como diabetes.

De certa forma, a frase “problemas gastrointestinais” encobre a gravidade da vida com essas condições no dia-a-dia. Viver com uma condição digestiva pode ser extremamente doloroso e causar estresse indevido ao indivíduo. A urgência e a gravidade dos sintomas físicos do distúrbio podem atrapalhar seriamente a vida diária da pessoa, causando constrangimento que leva ao aumento de sentimentos de estresse, isolamento e depressão.

Felizmente, as pesquisas sugerem que o óleo CBD pode aliviar muitos dos sintomas associados aos distúrbios gastrointestinais.

O que é óleo de CBD?

CBD é a abreviação de canabidiol. O canabidiol é um dos mais de 100 compostos químicos, chamados canabinóides, encontrados na planta da cannabis. O óleo CBD é um extrato da planta de cannabis que contém uma alta concentração desse canabinóide.

Normalmente, o óleo CBD é extraído da cepa de cânhamo da cannabis, porque o cânhamo produz naturalmente altas concentrações de CBD. A maconha é outra variedade de cannabis. Contém menores concentrações de CBD e maiores quantidades de THC, o composto psicoativo da cannabis. Embora o óleo de CBD possa ser extraído de qualquer uma das estirpes, é mais comumente retirado do cânhamo, pois os usuários o tomam para o bem-estar e não estão interessados ​​nos efeitos psicoativos do THC.

Ao contrário do THC, o CBD não é psicoativo. Produz apenas efeitos benéficos à saúde no indivíduo, sem os altos. O CBD também é diferente do THC, pois é 100% legal nos Estados Unidos.

Embora a maconha medicinal seja benéfica por si só, os pesquisadores descobriram uma riqueza de benefícios à saúde exclusivos do CBD, incluindo alívio para dores de câncer, insônia e muito mais. A capacidade de experimentar esses benefícios à saúde, sem os efeitos alteradores da mente do THC, é o que torna o óleo CBD uma opção atraente para pessoas que vivem com condições crônicas que precisam de alívio.

O CBD fez seu nome na comunidade médica como um anti-inflamatório e antiemético natural, duas propriedades que o tornam particularmente adequado para o tratamento de distúrbios gastrointestinais. Para pessoas com problemas gastrointestinais, o CBD pode aliviar sintomas como inflamação, dor, ansiedade e náusea. O óleo CBD é eficaz para aliviar esses sintomas em grande parte devido à sua interação com o sistema endocanabinóide do corpo.

O que é o sistema endocanabinóide?

O sistema endocanabinóide é composto por três elementos principais:

  • Endocanabinóides: eles compartilham uma estrutura semelhante aos canabinóides encontrados na cannabis, como o CBD. O prefixo “endo” refere-se ao fato de que esses canabinóides são produzidos internamente, dentro do seu corpo.
  • Receptores canabinóides: localizados na superfície das células do corpo, esses receptores canabinóides são a que se associam os endocanabinóides (bem como os canabinóides como os encontrados no óleo CBD).
  • Enzimas: as enzimas são responsáveis ​​por quebrar os endocanabinóides depois que se ligam aos receptores canabinóides e concluem sua função reguladora.

O sistema endocanabinóide é responsável por manter seu corpo em um estado de homeostase ou equilíbrio. Como tal, supervisiona várias funções biológicas importantes, como apetite, função imunológica, inflamação, humor e controle motor. Ele regula essas funções comunicando-se com várias áreas do seu corpo. Essa comunicação ocorre quando os endocanabinóides se ligam aos receptores canabinóides. Após a conclusão do processo de regulação, as enzimas quebram os endocanabinóides para impedir sua correção excessiva.

Quando você toma óleo de CBD, você basicamente aumenta a contagem endocanabinóide interna do seu corpo. Com mais canabinóides disponíveis para serem acoplados aos receptores, o sistema endocanabinóide pode fazer um trabalho melhor, trazendo as coisas de volta ao equilíbrio.

Existem dois tipos principais de receptores canabinóides. Os receptores CB1 estão no sistema nervoso central, enquanto os receptores CB2 são encontrados principalmente no sistema nervoso periférico, no sistema digestivo e no sistema imunológico. O tipo de benefício para a saúde que você experimenta ao tomar CBD depende de qual tipo de receptor de canabinóide se envolve. E o tipo de receptor canabinóide que fica engajado depende de onde o sistema endocanabinóide sente que algo está desequilibrado e precisa de regulamentação.

Por exemplo, muitas pessoas tomam CBD para gerenciar sua dor crônica. Para essas pessoas, os canabinóides podem atingir os receptores CB2 na área afetada, reduzindo sua inflamação e, simultaneamente, alterando sua percepção da dor, envolvendo os receptores CB1 em seu cérebro, permitindo que eles possam lidar melhor com ela.

Os pesquisadores descobriram que os receptores CB1 e CB2 estão presentes nas células imunes, indicando que ambos estão envolvidos na regulação da inflamação e na resposta imune. Isso também pode explicar por que o CBD pode ser particularmente eficaz para indivíduos com problemas gastrointestinais.

Benefícios do óleo CBD para problemas gastrointestinais

Por meio de sua interação com os receptores canabinóides no sistema digestivo e imunológico, o óleo CBD pode reduzir a inflamação no trato digestivo, melhorar a resposta imune do intestino e aliviar a ansiedade e o estresse associados a distúrbios gastrointestinais.

Alívio da Dor e Inflamação

A dor crônica é uma das razões mais comuns pelas quais as pessoas tomam óleo CBD. O CBD ataca a dor ajustando a resposta à dor do cérebro, liberando neurotransmissores que agem como antidepressivos. Ao mesmo tempo, liga-se aos receptores CB2 localizados em todo o sistema imunológico para reduzir a inflamação.

Para muitas pessoas com uma doença digestiva, o intestino não regula a atividade intestinal como deveria. Isso leva a espasmos musculares, cãibras e paralisia intestinal. Estudos de camundongos com inflamação intestinal descobriram que eles exibem níveis anormais de renovação dos endocanabinóides.

Como resultado, seu sistema endocanabinóide não pode regular a inflamação da maneira mais eficaz possível em um indivíduo saudável. No entanto, quando administrado óleo CBD, o aumento do canabinóide inibiu a motilidade intestinal nos ratos, aliviando o intestino inflamado e a dor associada.

Estudos semelhantes mostraram que a ativação dos receptores CB1 no cólon pode servir como função autoprotetora contra a inflamação no cólon.

Os pesquisadores também acreditam que o CBD é promissor como tratamento para DII, como colite ulcerosa, devido à sua capacidade de controlar o eixo neuroimune. Uma resposta imune hiperativa no intestino pode desencadear uma proliferação de células gliais entéricas, ampliando a inflamação e intensificando os problemas gastrointestinais.

O CBD contraria especificamente essa reação, reduzindo o potencial de danos intestinais a longo prazo. Além de reduzir a inflamação, o CBD também reduz os casos de cólicas e outros distúrbios relacionados à colite:

Alívio adicional dos sintomas

O CBD também ajuda as pessoas com problemas gastrointestinais a lidar com outros sintomas mais secundários de seu distúrbio, como ansiedade, náusea e perda de apetite.

  • Alívio da ansiedade: o CBD modula a resposta do sistema endocanabinóide à ansiedade, reduzindo os casos de conversas negativas e o desconforto sentido em situações sociais. Além disso, o alívio proporcionado pelo CBD pode até motivar mais interação social.
  • Alívio da náusea: Náusea e vômito são dois sintomas comuns da gastrite. Um spray diário de CBD provou ser particularmente eficaz no alívio de ambos, reduzindo os casos de náusea e vômito em até 49%.
  • Estímulo ao apetite: Embora o CBD não aumente tanto o apetite quanto o THC, ele fornece um efeito estimulante para alguns indivíduos.

É seguro usar óleo de CBD para tratar problemas gastrointestinais?
Os medicamentos prescritos para tratar problemas gastrointestinais incluem medicamentos vendidos sem receita e com receita médica. Eles geralmente vêm com uma longa lista de efeitos colaterais – incluindo aumento da dor abdominal, náusea e constipação. O óleo CBD, por outro lado, raramente apresenta efeitos colaterais.

Se um indivíduo procura evitar os efeitos colaterais dos medicamentos prescritos ou simplesmente prefere usar mais terapias baseadas em plantas, o óleo CBD pode oferecer muitos dos mesmos benefícios que os medicamentos tradicionais – mas sem os efeitos colaterais indesejados.

Para a maioria das pessoas, o óleo CBD é uma terapia extremamente segura, mesmo quando tomado de forma crônica e em altas doses. No entanto, existem alguns grupos de pessoas que apresentam maior risco de sofrer efeitos colaterais ao tomar CBD, incluindo: mulheres grávidas e que amamentam, crianças e qualquer pessoa que esteja tomando outros medicamentos.

Como é provável que indivíduos com condições digestivas se enquadram nessa terceira categoria, é importante ter cuidado antes de iniciar um regime de CBD. O CBD tem o potencial de afetar a maneira como o fígado metaboliza certos medicamentos, o que pode interferir na eficácia de outros medicamentos e resultar em danos ao fígado a longo prazo.

Se você estiver tomando medicação para tratar seu distúrbio digestivo, fale com seu médico antes de iniciar o CBD. Eles estarão mais bem posicionados para aconselhá-lo sobre como encontrar a dose ideal de CBD, se você deve ajustar a dosagem de qualquer outro medicamento de acordo e se pode ter efeitos colaterais.

Embora raros, os efeitos colaterais do CBD incluem:

  • Diarréia
  • Náusea
  • Mudanças no apetite ou no peso
  • Boca seca
  • Pressão sanguínea baixa
  • Fadiga

Os três primeiros são particularmente relevantes para pessoas com distúrbios gastrointestinais. Se você tiver alguma dessas situações, pare de tomar CBD imediatamente e consulte seu médico.

Como usar o CBD para problemas gastrointestinais

Existem vários métodos diferentes para tomar óleo de CBD. O melhor método para você depende da rapidez com que você precisa de alívio, bem como de sua preferência pessoal.

Quando inalado com uma caneta vape, o óleo CBD entra instantaneamente na corrente sanguínea – através dos pulmões. A inalação é o método de ação mais rápida para tomar óleo de CBD, pois os efeitos são sentidos quase imediatamente. No entanto, os efeitos também são mais duradouros com esse método, apenas cerca de 2 a 3 horas.

Um dos métodos mais comuns para tomar óleo de CBD é com uma tintura sublingual, onde o CBD é administrado embaixo da língua usando um conta-gotas. Muitas pessoas preferem esse método, pois elas garantem uma dose precisa de CBD e desfrutam de CBD em sua forma mais pura (sem os sabores ou aditivos que são frequentemente adicionados a óleos vape, comestíveis ou produtos tópicos). Os efeitos são sentidos em 20 minutos e duram até 6 horas.

O óleo CBD também pode ser aplicado topicamente. Uma vez esfregado na pele, o CBD se liga aos receptores canabinóides localizados abaixo da derme, tornando-o um método adequado para aliviar a dor associada às condições gastrointestinais. Os efeitos são duradouros com os tópicos de CBD, em torno de 4 a 6 horas, mas é mais difícil garantir uma dose precisa com esse método.

Finalmente, o óleo CBD pode ser ingerido oralmente, através de produtos comestíveis, gomas, produtos de panificação, cápsulas e cápsulas moles. Em sua forma de pó isolado, o óleo CBD também pode ser adicionado à comida ou bebida. Enquanto muitas pessoas preferem a familiaridade da ingestão oral, esse método é de ação mais lenta, pois o CBD precisa viajar primeiro pelo sistema digestivo antes de entrar na corrente sanguínea.

Quanto CBD você deve tomar?

Não é difícil encontrar óleo CBD de qualidade (basta seguir o guia do comprador na próxima seção). A parte difícil de tomar o óleo CBD é encontrar a melhor dose para você. Como uma terapia mais recente ainda não regulamentada pela FDA, não há diretrizes oficiais de dosagem para o óleo CBD. No entanto, existem práticas recomendadas gerais que você pode seguir.

A recomendação padrão é usar entre 1mg a 6mg de CBD para cada 10 libras do seu peso corporal. A dose ideal para você pode cair em qualquer lugar dentro (ou mesmo fora) desse intervalo, dependendo da gravidade de sua condição e da química de seu próprio corpo. Para encontrar a sua dose, comece devagar com a menor quantidade recomendada para o seu peso corporal. Então, você pode aumentar gradualmente a partir daí até encontrar uma dose que funcione.

Depois de encontrar uma dose que funcione, pare. As evidências mostram que as pessoas não desenvolvem tolerância ao CBD da mesma maneira que fazem com outros medicamentos.

Guia do comprador: Como encontrar o melhor óleo de CBD para problemas gastrointestinais

O óleo CBD está amplamente disponível on-line e em um número crescente de lojas nos EUA. No entanto, apenas porque você vê algo anunciado como “óleo CBD” não significa que ele realmente seja óleo CBD (isso é especialmente verdadeiro para produtos CBD vendidos em Amazônia).

Como a indústria está em alta no momento, muitos fabricantes entraram no mercado menos diligentes com seus métodos de produção. Para que o óleo CBD realmente funcione, ele precisa ser um óleo CBD real e precisa ser de qualidade. Aqui estão quatro dicas a seguir para garantir a compra de um óleo CBD de alta qualidade.

1. Compre apenas de marcas que usam laboratórios de terceiros para testar seus produtos.
Instalações de laboratório de terceiros analisam a concentração de CBD e outros canabinóides em um óleo de CBD (como THC, CBDA, CBDV e outros). Eles também testam que não há toxinas, solventes residuais ou outras substâncias nocivas presentes. A visualização de um certificado de laboratório de terceiros garante que o óleo CBD que você está comprando contenha tanto CBD quanto a marca alega e que seja seguro para você usar.

Marcas sem nada a esconder tornarão esses resultados de teste prontamente disponíveis para os clientes, mediante solicitação, em seu site ou na embalagem do produto.

2. Verifique qual método de extração eles usam.
Semelhante a testes de terceiros, os fabricantes mais respeitáveis ​​terão orgulho do cuidado e controle de qualidade que exercem durante todo o processo de produção. Procure empresas que usam extração de CO2. Este é o método mais seguro e eficiente para extrair altas concentrações de CBD.

3. Evite ingredientes sintéticos.
O óleo puro de CBD, livre de ingredientes sintéticos, provavelmente fornecerá um alívio eficaz. O óleo sintético de CBD, por outro lado, demonstrou causar efeitos colaterais extremos. Escolha os óleos CBD de grau puro que foram extraídos do cânhamo cultivado localmente e que contêm zero a poucos outros ingredientes. Ingredientes adicionais devem ser orgânicos ou naturais.

4. Verifique duas vezes as reivindicações da marca.
Se você deseja ver se um produto realmente funciona da maneira que a empresa afirma, ler as resenhas on-line é um ótimo começo. Mas, estes podem ser pagos.

Então, procure aprender com os mais qualificados para lhe dar uma resposta. Pergunte a seus colegas sobre a experiência deles em fóruns on-line, como os sub-editores IBS, IBD, Gastritis, Doença de Crohn e Colite Ulcerativa, o Grupo de Apoio ao Paciente Inteligente e o Fórum da Comunidade Crohn e Colitis Foundation.

Guia de Dosagem CBD

  • Recursos adicionais
  • O CBD ajuda na dor?
  • O CBD ajuda a ansiedade?
  • O que é o sistema endocanabinóide?
  • Efeitos colaterais do CBD

FONTE: https://www.cbdoil.org/cbd-oil-for-gi-issues/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *